Clemente acusado de fechar Associação
Conteúdo publicado por Divulgação em: 19/09/2012 às 8:59h.
Compartilhe com mais pessoas

Por Redação

Para reabrir entidade, diretoria promove café da manhã de apoio a Nivaldo Jatobá

“Os idosos que se espalham por aí”. Foi o que disse o prefeito George Clemente (PSB), quando assumiu o mandato e decidiu cancelar o convênio da Prefeitura com a Associação do Desenvolvimento Comunitário de São Miguel dos Campos (Adescom) – organização não [singlepic id=4543 w=320 h=240 mode=watermark float=left]governamental que há 17 anos trabalha pelo progresso e o bem-estar social do município.

Essa postura do atual prefeito e candidato à reeleição deixou indignadas as pessoas que trabalham voluntariamente na Associação, Segundo a aposentada Benedita Guimarães Santos, presidente da Associação, foram palavras de desprezo e arrogância que o prefeito dirigiu à entidade.

Clemente acabou com a entidade a partir do momento que cancelou o convênio com a Prefeitura. “Foi uma ofensa muito grande. Ele não teve nenhum respeito pelos idosos. Isso me deixou muito contrariada”, desabafou Benedita, mas conhecida por dona Biu.

“Os idosos e toda comunidade de São Miguel irá saber quem  na verdade é o prefeito que nós temos, que além de nada fazer ainda acabou com o que foi feito, excluindo os  benefícios às famílias carentes. É esse o homem que está pedindo o voto de vocês”, lamentou a presidente da Adescom.

Para reverter esse quadro, dona Biu aposta na vitória do 15 e espera o retorno do ex-prefeito Nivaldo Jatobá à Prefeitura, a partir de 1º de janeiro de 2013. Para isso, está promovendo nesta quarta–feira, 19 de setembro, um café da manhã de apoio à candidatura de Nivaldo Jatobá, na sede da entidade.

Criada há 17 anos, com a ajuda do então deputado estadual Nivaldo Jatobá, a entidade prestava assistência social aos favelados, levando toda semana sopa para as pessoas menos favorecidas. “Vendo o sofrimento daquelas famílias que viviam em condições sub-humanas, seu Nivaldo doou terrenos e construiu casas para o povo que morava em barracos”, explicou.

Devassa

De acordo com dona Biu, a Adescom prestava assistência à saúde dos mais necessitados, quando contava com cinco médicos, dois dentistas, um psicólogo, uma nutricionista e um ginecologista. “Infelizmente ele retirou”, lamentou a presidente.
“Além disso, nós realizávamos cursos profissionalizantes para os nossos jovens, a exemplo de cabeleireiro, manicure, depilação, artesanato e corte costura”, acrescentou.
Com o fechamento da Adescom, onze pessoas que trabalhavam na Associação ficaram desempregadas.  “Tudo isso porque o prefeito cancelou o convênio que nós tínhamos com a Prefeitura, inviabilizando por completo as ações destinadas as pessoas carentes”, concluiu Benedita Guimarães