“Galinha de Ovos de Ouro” reelege George Clemente em São Miguel dos Campos
Conteúdo publicado por Divulgação em: 09/10/2012 às 20:17h.
Compartilhe com mais pessoas

Município tem a quinta Prefeitura mais rica do Estado de Alagoas, com arrecadação superior a R$ 80 milhões por ano. Maior parte dos recursos é proveniente de repasses federais

 Por Fabiano Sarmento

[singlepic id=9927 w=320 h=240 float=left]A Eleição Municipal 2012 no município alagoano de São Miguel dos Campos deixou muita gente de “cabelo assanhado”, inclusive o usineiro e ex-prefeito Nivaldo Jatobá (PMDB), que pretendia a vaga de prefeito na disputa contra os candidatos Salustiano (PRTB) e George Clemente (PSB).

O resultado do pleito eleitoral em São Miguel dos Campos surpreendeu muita gente, que não esperava a vitória do atual prefeito, George Clemente. Pesquisas internas na cidade colocavam na dianteira o usineiro Nivaldo Jatobá no segundo lugar o advogado tributarista Salustiano, que lutou até o último momento contra duas candidaturas milionárias e conhecidas da população miguelense.

“A Galinha de Ovos de Ouro, sem dúvida, reelegeu George Clemente prefeito da cidade. É inacreditável como o dinheiro continua falando mais alto em São Miguel dos Campos, diante das tantas mazelas vivenciadas”, comentou um eleitor.

De acordo com os portais da Transparência do Estado e do governo federal, a Prefeitura de São Miguel dos Campos é a quinta mais rica de todo o Estado de Alagoas, ficando atrás apenas de Maceió, Arapiraca, Coruripe e Palmeira dos Índios. A arrecadação anual de São Miguel dos Campos totaliza R$ 80.569.701,41, sendo a maior parte dos recursos originários de repasse federais. Dos mais de R$ 80 milhões, R$ 17.696.858,43 são provenientes dos impostos arrecadados pelo município.

Até a segunda semana do mês de setembro deste ano, a Prefeitura Municipal arrecadou quase R$ 44 milhões, recursos esses tendo grande parte originária dos royalties do cimento e do petróleo. Dizem por aí que a reeleição de Clemente atende também aos interesses de usineiros da região, pela cana de açúcar ser a principal atividade agrícola da região da zona da mata alagoana.

A verdade tem de ser dita: a prática do voto consciente está longe de ser decisiva em Alagoas. Em pleno século XXI, esse reflexo deve-se ao alto nível de pobreza e analfabetismo generalizado em todo o Brasil, que ainda não acompanhou a evolução dos países desenvolvidos.