George Clemente celebra contratos de mais de R$ 1 milhão com duas empresas de eventos sem especificar origem dos gastos
Conteúdo publicado por Divulgação em: 03/10/2012 às 12:16h.
Compartilhe com mais pessoas

Por Assessoria

Fabiano Sarmento

Empresas beneficiadas ficam localizadas em Maceió e Capela

Notas publicadas no Diário Oficial de Alagoas, do dia 13 de julho deste ano, apresentam dois despachos mal explicados do atual prefeito de São Miguel dos Campos, George Clemente (PSB), autorizando o pagamento de R$ 1.016.960,00 para duas empresas de eventos que celebraram contratos com a Prefeitura Municipal durante o período dos festejos juninos, no mês de junho passado.

Uma das empresas beneficiadas foi a KRIATURA RARA PRODUÇÕES E VENTOS, CNPJ 05.208.001/0001-40, localizada na capital Maceió, na Travessa Serafim Costa, 319, no bairro do Farol, que recebeu o montante de R$ 431.200,00. A outra empresa foi a RL PRODUÇÕES E EVENTOS, CNPJ 09.332.569/0001-29, localizada no município de Capela, na Rua Gersino Moreira, s/nº, no bairro do Centro, que faturou a maior quantia, R$ 585.760,00.

No Diário Oficial, os despachos do prefeito George Clemente para as duas empresas beneficiadas não informaram a origem dos gastos. De acordo com uma fonte, que não quis se identificar, acredita-se que os contratos foram firmados para o pagamento de bandas durante o São João de São Miguel dos Campos, “o que não justifica, diante do alto valor, enquanto o município de São Miguel dos Campos concentra hoje mais de 54 mil habitantes, sendo grande parte da população em situação de vulnerabilidade social”, explicou a fonte.

George Clemente disputa a reeleição em São Miguel dos Campos depois de assumir o comando do município no lugar da ex-prefeita Roseane Santos (PMDB), que teve o mandato cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral, no ano passado. Em 2008, George foi acusado pela Polícia Federal de participação em crimes de peculato, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha, por envolvimento na Operação Taturana, deflagrada para apurar os desvios de mais de R$ 300 milhões da Assembleia Legislativa de Alagoas, quando Clemente era deputado estadual.

[nggallery id=890]