Gol contra dá vitória ao Brasil sobre a Bósnia, na estreia em 2012
Conteúdo publicado por Divulgação em: 28/02/2012 às 19:07h.
Compartilhe com mais pessoas

No primeiro teste de 2012, a Seleção Brasileira seguiu devendo, assim como o ano passado, mas venceu. Com um gol contra aos 45 minutos do ano passado, a equipe canarinho venceu a Bósnia por 2 a 1, na AFG Arena, em St. Gallen, na Suíça, mas mostrou que muito trabalho ainda precisa ser feito até os Jogos Olímpicos de Londres, e, principalmente, para o Mundial no País.

Antigo desafeto de Mano Menezes, o lateral esquerdo Marcelo foi o autor do gol brasileiro, logo aos seis minutos de jogo, depois de passe do ‘rival’ Daniel Alves, um dos melhores da equipe canarinho em toda a partida. A Bósnia empatou pouco depois, com Ibisevic. A vitória só foi alcançada aos 45 minutos, quando Pandza tentou cortar cruzamento de Hulk e acabou mandando contra o próprio gol.

AFP

O gol que deu a vitória ao Brasil só saiu aos 45 minutos do segundo tempo, em jogada iniciada por Hulk

Podendo contar com a defesa que considera ideal, Mano Menezes viu, no entanto, uma partida pouco segura de seus homens responsáveis pelo setor defensivo. Júlio César, que voltava à meta brasileira depois de Diego Alves ter sido o titular diante do Egito, falhou no gol da Bósnia, assim como David Luiz, que ainda apresentou bastante dificuldade no embate com Dzeko, atacante do Manchester City que costuma enfrentar quando defende o Chelsea na Premier League.

Os homens de criação também não foram bem. Ronaldinho Gaúcho só apareceu em duas cobranças de falta (uma foi direto para a linha de fundo, a outra ficou na barreira) e em um passe para Neymar já no segundo tempo, que o santista desperdiçou e chutou fraco, nas mãos do goleiro. O flamenguista foi substituído no segundo tempo por Paulo Henrique Ganso, que deu mais movimentação ao time brasileiro, assim como Elias, Lucas e Hulk que também entraram durante a etapa complementar.

O resultado ampliou para seis a série vitórias consecutivas do time de Mano Menezes, e ainda manteve a invencibilidade do Brasil, que não perde desde a derrota para a Alemanha, por 3 a 2, em agosto.

AFP

Ronaldinho Gaúcho esteve apagado e deixou a partida no início do segundo tempo

Foi a segunda vez na história que as seleções se enfrentaram. Em 18 de dezembro de 1996, também em uma partida amistosa no estádio Vivaldão, em Manaus (AM), o Brasil saiu com a vitória por 1 a 0, com um gol do atacante Ronaldo, no segundo tempo.

A Seleção Brasileira volta a campo em maio, no dia 26, para novo amistoso, diante da Dinamarca. Até agosto, o grupo canarinho ainda tem mais quatro partidas agendadas (Estados Unidos, México, Argentina e Suécia), além da disputa da Olimpíada, que começa em 27 de julho.

O jogo – Grande maioria nos poucos, mas confortáveis 17.500 lugares da AFG Arena, os torcedores bósnios eram só festa durante os primeiros minutos, enquanto a Seleção Brasileira trocava passes, sem pressa, como havia prometido o técnico Mano Menezes antes do início da partida. Os adversários se fecharam no campo de defesa, e a equipe verde-amarela tinha dificuldades de passar do meio de campo.

Quando conseguiu, o Brasil foi direto às redes. Aos seis minutos de jogo, Daniel Alves recebeu bola pela direita, foi cortando pelo meio até acionar Marcelo, na outra ponta. O lateral esquerdo do Real Madrid chutou forte, de primeira, abrindo o placar para a Seleção.

O gol repentino dava a impressão de que o Brasil dominaria as ações de jogo, mas a Bósnia logo tratou de mostrar que o primeiro tempo não seria fácil para os comandados de Mano Menezes. Aos 12 minutos, David Luiz errou passe e viu Ibisevic ficar com a bola. O atacante foi avançado a medida que o zagueiro do Chelsea apenas o cercava, e arriscou o chute quando entrou na área. Júlio César falhou, caiu para o lado errado e viu o lance morrer dentro das redes.

O empate inflou a torcida bósnia e sua seleção, que passaram a visitar mais vezes a área brasileira. A equipe canarinho, por sua vez, tinha dificuldades de criar jogadas por conta da pouca criatividade de Ronaldinho e Hernanes. Fernandinho era o único que ainda tentava, mas sempre em lançamentos para os laterais.

Em uma rara jogada bem trabalhada pelo time brasileiro, o meia do Shaktar Donetsk tocou por cima para Leandro Damião, que arriscou o chute e viu o goleiro Begovic defender. Hernanes tentou aproveitar a sobra e empurrar para o gol vazio, mas a defesa bósnia se recuperou e afastou o perigo para escanteio.

Antes de o árbitro apitar o final do primeiro tempo, ainda deu tempo de Júlio César se redimir da falha do gol bósnio. Aos 45 minutos, Pjanic disparou pela direita e chutou forte para o gol, exigindo grande defesa do goleiro da Inter de Milão.

AFP

Antigo desafeto de Mano Menezes, Marcelo foi o único jogador brasileiro a balançar as redes na Suíça

Apesar da primeira etapa de muita posse de bola, mas pouca objetividade, a Seleção Brasileira voltou para o tempo complementar sem nenhuma alteração. No entanto, aos 11 minutos, Mano Menezes resolveu mudar a equipe pela primeira vez, mas não promovendo a entrada que todos esperavam. Elias substituiu Sandro, pouco mudando o panorama da partida. Paulo Henrique Ganso só foi chamado para a beira do gramado aos 17 minutos, para, finalmente, entrar no lugar de Ronaldinho.

O Brasil melhorou com as substituições, mas seguiu sem assustar. O resultado só foi mudar de fato, aos 45 minutos do segundo tempo, quando Hulk, que havia entrado no lugar de Hernanes, fez jogada pela direita e cruzou para área. O defensor bósnio se atrapalhou e acbaou mandando contra o próprio gol, dando a vitória ao Brasil, quase no último lance da partida. Lucas e Jonas ainda entraram antes do apito final.