Médica denuncia caos na saúde pública em São Miguel
Conteúdo publicado por Divulgação em: 24/08/2012 às 10:18h.
Compartilhe com mais pessoas

 Por Assessoria

Maria José disse vai entrar com representação no Mistério da Saúde cobrando providências contra o descaso do atual prefeito.

[singlepic id=7611 w=320 h=240 float=right]Indignada com o descaso do poder público e as perseguições aos servidores municipais, a médica Maria José disse que vai denunciar a Prefeitura de São Miguel ao Ministério da Saúde.  A doutora alega que a postura opressora e tirana do atual prefeito George Clemente (PSB) está colocando em risco a saúde da população do município.

Maria José, que é clínica geral e psicóloga, revelou ter sido perseguida pelo atual prefeito, que colocou um documento em sua mesa, ameaçando transferi-la para outro local de trabalho, bem mais distante da sua rotina, só porque a médica teria se ausentado do município por quatro dias, para acompanhar um irmão que estava enfermo em Maceió.

[singlepic id=3186 w=320 h=240 float=left]Atuando no município de São Miguel há 30 anos, Maria José é uma profissional de saúde respeitada, no município. Candidata à vereadora pelo PSDB, nas eleições deste ano em São Miguel, a médica Maria José, se formou em Psicologia em 1980, pelo Cesmac; e em Medicina em 1983, pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal).

Ela denuncia a falta de receituário, medicamentos e materiais de primeiros socorros nos postos de saúde do município. Além disso, diz que os pacientes ficam esperando até quatro meses para ter acesso aos exames. “Falta tudo. Falta assistência médica e um secretário municipal de saúde de fato, porque o que está aí, não valoriza o médico”, afirma a doutora.

“E o mais grave de tudo: quando chove só entramos nos postos de botas, porque os postos ficam todos alagados. E o pior: em alguns postos, as fossas estão estouradas, colocando em risco a saúde de médicos, servidores e dos pacientes. Por isso, vou oficiar minha denúncia ao Ministério da Saúde”, disse a médica.

Saúde na UTI

A médica foi taxativa ao afirmar que a saúde de São Miguel dos Campos está caminhando para a UTI. “Temos bons e dedicados médicos, mas estão com as mãos atadas, porque está faltando de tudo. Não se concebe que um município com 52 mil habitantes tenha uma secretaria de saúde fragilizada, desse jeito”, observa.

“Temos 14 equipes do PSF no município e a grande maioria está em situação de calamidade pública. Sou médica há 30 anos e sei que é melhor prevenir do que remediar, mas a atual administração não está nem remediando, quanto mais prevenido”, ressaltou a doutora.

Para ela, a saúde pública de São Miguel só irá sair da UTI quando o ex-prefeito Nivaldo Jatobá, candidato a prefeito pelo PMDB, retornar ao comando da Prefeitura.

“Felizmente, a população está compreendendo nossa mensagem e tem tudo para eleger de novo Nivaldo Jatobá, que foi o prefeito que mais construiu postos de saúde em nosso município. Votando nele, com certeza, o medicamento volta, o atendimento de qualidade volta e todos os servidores da saúde serão valorizados”, finalizou a médica.

VEJA ENTREVISTA: